Buscar
  • Rodrigo Viudes

NÃO FURTARÁS!

Atualizado: 30 de Jan de 2019

Ex-pároco da Paróquia Santo Antonio de Marília afastado sob acusação de furto de óculos em loja de Guarapuava (PR) se mantém em silêncio



Padre Vinícios Araújo observa Eucaristia em celebração: um par de óculos cegou sua visão moral

Um depoimento prestado à 14º Subdivisão Policial (SDP) de Guarapuava (PR) e o suposto pedido de desculpas a uma ótica do Shopping Cidade dos Lagos, da mesma cidade, foram as últimas manifestações públicas do padre Vinícios Augusto dos Santos Araújo até a noite desta terça-feira (22).

O padre tem se mantido em silêncio - pelo menos, aos veículos de imprensa - desde que se envolveu em um escândalo que, dadas as proporções tomadas pela divulgação nos portais, sites e blogs de notícias e, principalmente, pelas redes sociais, pode custar a continuidade do seu sacerdócio.

Ele está afastado de suas funções como pároco da Paróquia Divino Espírito Santo, de Guarapuava, "até que o caso seja investigado, esclarecido e resolvido", segundo informou a Diocese de Guarapuava em nota distribuída à imprensa no último fim de semana (veja a íntegra no fim deste post).


Padre dá uma espiada na câmera de segurança da ótica: imagem marcada mais pelo pecado que por qualquer virtude

FURTO DE ÓCULOS

Padre Vinícios é acusado de ter furtado um par de óculos. A infração ao artigo 155 do Código Penal e, em particular, ao 7º mandamento da Lei de Deus ("Não furtarás") foi flagrada na manhã do dia 7 de janeiro pelas câmeras de segurança da loja. No vídeo, o padre se abaixa, pega os óculos, afasta-se e quando retorna à cena, já não tem o objeto nas mãos.

As gravações entregues à Polícia Civil confirmam o delito cometido pelo religioso, segundo informou a própria Cúria de Guarapuava. O depoimento de uma mulher que acompanhava o padre teria sido decisivo para sua confissão ao delegado. "Foi um momento de bobeira", teria dito.

Como não houve flagrante, o padre não foi preso. Ele ainda retornou à loja para devolver o óculos com um pedido de desculpas. O inquérito aberto pela 14ª SDP será encaminhado ao Ministério Público (MP) que, por sua vez, decidirá se apresenta denúncia ou não à Justiça do Paraná.




EX-SANTO ANTÔNIO

Embora tenha acontecido em Guarapuava (PR), o caso repercutiu em Marília. Entre junho de 2012 e março de 2016, padre Vinícios foi pároco da Santo Antonio, matriz da Diocese de Marília, cuja administração é da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo (Estigmatinos).

Ele estava à frente da paróquia quando das comemorações dos 80 anos de fundação da paróquia e dos 70 anos da chegada dos Estigmatinos à cidade, em 2016. Fiéis ouvidos pelo blog elogiaram o padre por seu carisma e dedicação à paróquia. Ninguém quis comentar sobre o furto.

Quase três anos atrás, quando deixou a Paróquia Santo Antonio de Marília, padre Vinícios assumiu a função de diretor financeiro do Colégio Sagrada Família, de São Caetano do Sul (SP). Ele estava como pároco da Paróquia Divino Espírito Santo desde 10 de fevereiro de 2017.


REPÚDIO

Além de comunicar o afastamento, a Diocese de Guarapuava também manifestou, na mesma nota distribuída à imprensa, que "está colaborando com todas as investigações" e que "repudia veementemente a atitude do religioso que deveria ser exemplar perante a sociedade e os fiéis que professam a fé católica, bem como a todos os cristãos".


Confira íntegra da nota:

A Mitra Diocesana de Guarapuava, confirma a notícia de furto de óculos de sol em uma loja do Shopping da cidade, envolvendo o padre Vinicios Araújo, pároco da paróquia Divino Espírito Santo, bairro Vila Bela.

O furto ocorreu no dia 07 de janeiro, uma segunda-feira de manhã (pelas nove horas), segundo informações da atendente da loja e conforme vídeos que confirmam o delito cometido pelo religioso.

Vinicios Araújo, é padre da Congregação dos Sagrados Estigmas do Nosso Senhor Jesus Cristo – Estigmatinos (CSS) e, até então, atuava como pároco da paróquia Divino Espírito Santo, no bairro Vila Bela, em Guarapuava.

Padre Vinícios Araújo tomou posse como pároco no dia 10 de fevereiro de 2017.

Dom Antônio Wagner da Silva, bispo da diocese de Guarapuava, saiu de férias logo depois do Natal. Ele encontra-se em Minas Gerais, na casa de seus parentes. Com a ausência do bispo, quem assume os trabalhos na diocese e passa a responder pela mesma, é o vigário-geral. Em Guarapuava, esta função é atribuída ao padre José Amarildo Novacoski, desde o dia 27 de abril de 2018. Padre Amarildo também é reitor do Seminário Menor Nossa Senhora de Belém.

Quando soube do episódio envolvendo padre Vinicios, padre Amarildo entrou em contato com Dom Wagner (que está de férias) e, a partir da conversa que teve com o mesmo, reuniu-se com padre Vinicios e o afastou de suas funções até que o caso seja investigado, esclarecido e resolvido. Com o afastamento do pároco, quem está à frente das funções na paróquia, é o padre Horácio Miguel Sampaio (CSS).

A diocese de Guarapuava salienta que está colaborando com todas as investigações e repudia, veementemente a atitude do religioso que deveria ser exemplar perante a sociedades e os fiéis que professam a fé católica, bem como a todos os cristãos.

No entanto, a instituição religiosa também reforça que como seres humanos, somos falhos e, por isso, passíveis de atitudes que não condigam com os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

A diocese de Guarapuava e a congregação à qual o religioso pertence, se reunirão nos próximos dias para discutir e elucidar a situação.


329 visualizações

© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com