top of page

DAI-VOS DE COMER

Atualizado: 11 de jun. de 2023

Corpus Christi arrasta fiéis católicos à Igreja em Saída proposta pela Campanha da Fraternidade-2023. Povo do terço já contribui para saciar do pão de cada dia de um quarto da população de Marília que não tem o que comer. Provisão municipal de banco de alimentos na zona oeste é promessa para o segundo semestre

De volta às vias públicas pelo segundo ano consecutivo, a celebração do Corpus Christi reencontrou-se em missa campal em frente à Catedral Basílica Menor São Bento, em Marília, na tarde e noite desta quinta-feira (8).

A exposição do Corpo de Cristo por ruas e avenidas centrais sobre tapetes coloridos reinseridos na solenidade em 2018, após oito décadas, arrastou consigo uma multidão de fiéis católicos, praticantes ou não, de 19 paróquias da cidade.

Pelos desenhos da tradição: ruas ganharam o tapete colorido de criatividade para passagem da procissão

Ao menos pela fé na presença real de Jesus Cristo na hóstia consagrada, o maior rebanho cristão de Marília, segundo as estatísticas oficiais, pôs-se em caminhada como a ‘Igreja em saída’ proposta por Francisco.

Multidão católica: fiéis lotaram área reservada para missa campal ao lado da catedral São Bento, em Marília

CAMPANHA PERMANENTE

Da fé às obras, a Diocese de Marília sugeriu como caminho a caridade neste Corpus Christi através da doação de alimentos não perecíveis e itens de higiene pessoal revertidos aos assistidos pelas próprias comunidades católicas.

Pão de cada dia: alimentos arrecadados foram distribuídos ainda na quinta-feira às paróquias da cidade

Por isso o tema ‘Dai-lhes vós mesmos de comer’, o mesmo da Campanha da Fraternidade (CF) deste ano, cujo assunto principal foi a fome, a exemplo das edições de 1975 e 1985 da atividade católica promovida durante a quaresma.

“As visitas às famílias carentes, a escuta, a comunhão e a partilha com aqueles que sofrem com a falta de alimento, de emprego e de atenção nos mostram o que é ser uma igreja em saída”, exortou o bispo de Marília, dom Luiz Antonio Cipolini, em homilia.
'Igreja em saída': acolhimento aos que sofrem é caminho para atender chamado do papa na vida comunitária

AÇÕES PASTORAIS

Além das doações recolhidas nesta quinta (8) e já distribuídas aos mais necessitados, a Igreja Católica mantém serviços permanentes de apoio a quem tem fome através de pastorais, equipes e movimentos.

A dedicação daqueles que rezam o terço ajuda a minimizar o dilema da fome que atinge pelo menos um quarto da população de Marília, conforme expôs este blog em postagem publicada em fevereiro deste ano.

A Pastoral de Rua, conhecida por levar alimento, roupas e uma palavra de conforto aos que vivem perambulando pelas vias públicas da cidade estão em atividade em, pelo menos, dez paróquias:

· Nossa Senhora de Fátima do Fragata

· Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

· Sagrada Família

· Sagrado Coração de Jesus

· Santa Antonieta

· Santa Edwiges

· Santa Rita de Cássia

· Santo Antonio

· São João Batista

· São Miguel Arcanjo

O Santuário Nossa Senhora da Glória assiste os moradores de rua com café da manhã, aos domingos, pela Pastoral da Solidariedade. O serviço é prestado diariamente pela Missão Louvor e Glória, sediada em frente à catedral.

O atendimento aos mais necessitados é missão compartilhada pelos membros da Sociedade São Vicente de Paulo, conhecidos como vicentinos. Suas conferências, como são chamadas as equipes paroquiais, estão espalhadas pelas comunidades há décadas.


BANCO DE ALIMENTOS

Instituído em 2018 por legislação municipal de autoria do ex-vereador José Luiz Queiroz (PSDB), o banco municipal de alimentos pode ter sua primeira unidade aberta na zona oeste de Marília no segundo semestre de 2023.

A previsão foi confirmada neste sábado (10) ao blog pelo secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Wilson Damasceno. Pela lei, o programa visa e distribuição de alimentos a entidades cadastradas.

O banco “está em preparação pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar e pela Coordenação de Segurança Alimentar da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, com apoio do Conselho Estadual de Segurança Alimentar”, explicou Damasceno.

O secretário salientou ainda que as unidades do restaurante Nosso Prato das zonas norte e sul tm viabilizado o acesso a cestas básicas por famílias monitoradas em encaminhadas aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do município.

138 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page