LARGADA ELEITORAL

Atualizado: há 2 dias

Marília inicia jornada rumo às urnas deste segundo semestre com menos filiados na comparação com 2020. Maioria dos candidatos da cidade para cargos legislativos em 2018 está fora da disputa desta vez. Anúncio dos novos nomes começa a partir deste sábado com o do único parlamentar mariliense eleito há quatro anos

Representada por apenas um candidato eleito à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) há mais de uma década, Marília inicia sua participação na jornada eleitoral de 2022 com menos opções para o eleitor da cidade.

Únicos(as) habilitados(as) a terem seus nomes registrados nas urnas, os(as) filiados(as) estão em menor número na comparação com o período eleitoral de apenas dois anos atrás, quando ocorreram as disputas municipais.

Em 2020, 13.423 marilienses – ou por aqui filiados – poderiam registrar suas candidaturas. Dados de junho deste ano, divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), atualizam os números para 12.998.

ANÁLISE POR PARTIDO

A redução no número de filiados foi registrada na maioria dos partidos representados na cidade. A começar pelos 11 com mais filiados. Pela ordem, MDB, PTB, PP, PSDB, PDT, PT, Patriota, União, DC, PC do B e PSB.

Colorido partidário: em vermelho, os de esquerda; em preto, os de direita e em azul, os de centro

Também sofreram recuos o Solidariedade, PRTB, Agir (ex-PTC), PMB e Novo. Mantiveram o mesmo número de filiados o PSC, Rede, PSTU e PCB. Receberam novas filiações o PL, PV, Republicanos, Podemos, PSD, Cidadania, PSOL, PROS, Avante, PMN e PCO.

As baixas foram registradas em legendas de direita (5,21%), centro (2,37%) e esquerda (0,62%). A maior ocorreu no recém-criado União, de direita, após a fusão do PSL com o Democratas. Foram 314, segundo dados do TSE.

MAIORIA FORA

Em 2018, o mariliense teve à sua disposição nas urnas os nomes de 11 candidatos(as) para a Alesp e outros quatro para a Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). A maioria está fora da disputa nas eleições deste ano.

São os casos, já confirmados ao blog, do professor Marcelo Fernandes e Zé Luiz Queiroz, a deputado federal; delegado Wilson Damasceno (atual secretário municipal de Direitos Humanos) e da delegada Rossana Camacho, ambos a estadual.

Não se manifestaram publicamente como pré-candidatos(as) Professor Mario Teruya e Barba Pintor, a federal em 2018; Marcos Farto, Sérgio Nechar (atual secretário municipal de Saúde), Fabio Protetor, Marquito, Alessandra Berriel e Liozina, a estadual.

CONVENÇÕES

Dos 15 nomes de 18, pelo menos três devem seguir no páreo eleitoral. As confirmações acontecem nas convenções partidárias autorizadas desde quarta-feira (20) até 5 de agosto pelo calendário oficial.

Único parlamentar mariliense eleito em 2018, o deputado estadual Vinicius Camarinha (PSDB) lança sua candidatura pelo 5º mandato na Alesp neste sábado (23), no Alves Hotel. A convenção tem previsão de início para as 10 horas.

Principal concorrente ao ex-prefeito de Marília (2013-2016) é Dani Alonso (PL), filha do atual gestor da cidade, Daniel Alonso (PSDB). Ela disputa o cargo pela 2ª vez consecutiva. Ainda não havia confirmação da data da convenção até esta publicação.

A pendencia é a mesma para Rogério Pavão, que aguarda pela confirmação de seu nome pelo Avante para disputar, de novo, uma cadeira na Alesp. Ele é filho de Pedro Pavão, deputado federal entre 1991 e 1995.


OUTROS NOMES

O mariliense ainda poderá contar com algumas outras opções locais, ainda nestas eleições. Entre os candidatos a serem confirmados nas convenções estão o Professor Juvenal, do PT e Rafael Amadeu, do PDT.

Outros dois concorrentes ao cargo de prefeito de Marília em 2018 podem reaparecer nas urnas em 2022: Juliano da Campestre (Patriota), a deputado federal e Marcos Kohlmann Barboza (Mobiliza), a estadual.

Nenhum dos atuais 13 vereadores e vereadoras deve se candidatar para as Eleições-2022. Junior Féfin (União), que havia manifestado a disponibilidade de seu nome ao partido, confirmou ao blog que não estará nas urnas de outubro.


0 visualização0 comentário