Buscar
  • Rodrigo Viudes

BLOG NO AR – 26/01

Confira, leia, assista e ouça os destaques de nossa cobertura política nesta terça (26) no programa 'Fala Cidade' das Rádios Clube AM/Itaipu FM: comitiva mariliense tenta convencer governo paulista a permitir reabertura do comércio em plena fase vermelha do Plano São Paulo. Lideranças empresarias se dividem sobre 'sobrevivência' de decreto publicado em Bauru. Prefeito e deputado estadual disputam protagonismo mais uma vez em benefício pró-covid entregue pelo estado - desta vez, dez leitos de UTI ao HC


O prefeito Daniel Alonso, do PSDB; o presidente da Câmara Municipal de Marília, Marcos Rezende, do PSD; e dirigentes do comércio e serviços de Marília seguem nesta terça-feira, 26 de janeiro, em comitiva para São Paulo, para uma missão que não promete ser das mais fáceis: convencer o governo do estado a permitir a reabertura gradual do comércio na cidade.

Cabe lembrar que a região de Marília foi a primeira do estado a ser regredida recentemente à fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva à abertura das atividades não essenciais – entre elas as do comércio de rua, shoppings e serviços diversos.

A comitiva mariliense será atendida na tarde desta terça-feira pelo secretário de estado de desenvolvimento regional, Marco Antonio Vinholi, o articulador de ofício do governo Dória no relacionamento e na cobrança do cumprimento do Plano São Paulo com os municípios.

Conversa curta: secretário Marco Vinholi vai repetir a marilienses obrigatoriedade de cumprimento do Plano São Paulo

A iniciativa do encontro de última hora com o governo paulista ocorreu somente após o prefeito ter sido cobrado pessoalmente por dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Marília, a Acim e do Sindicato de Bares e Hoteis, o Sinhores, em reunião convocada por eles, realizada no final da manhã desta segunda-feira.

Os empresários cobraram uma posição de Daniel Alonso após a iniciativa de sua colega de Bauru, Suéllen Rosim, do Patriota, ter publicado decreto, ainda na noite de domingo, 24 de janeiro, no qual permitiu o funcionamento do comércio, de bares e restaurantes, apesar de a ‘Cidade Sem Limites’ ter acabado de entrar na fase vermelha.

Papo reto: empresários cobraram posição do prefeito Daniel Alonso (PSDB) após decreto de sua colega de Bauru

A resposta de Daniel, publicada em vídeo pela assessoria de imprensa da Prefeitura de Marilia, foi o anúncio da comitiva a São Paulo para “buscar uma solução para a reabertura do comércio e das nossas atividades que estão paralisadas”.

Em entrevista ao jornalismo Clube Itaipu/Blog do Rodrigo, o presidente da Acim, Adriano Martins, afirmou que levará ao governo do estado a proposta de que o comércio seja “um braço do estado, a serviço do controle e de proteção à saúde das pessoas”.

Presente à reunião, o ex-presidente da Acim e atual presidente da Câmara Municipal de Marília, Marcos Rezende, do PSD, classificou o decreto de Bauru sobre a flexibilização do comércio como “plausível” e manifestou novamente seu apoio à reabertura do comércio “para salvar os empregos”.

Procurado pelo jornalismo Clube Itaipu, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Marilia, Pedro Pavão, afirmou não acreditar que o decreto em Bauru “vai dar certo” sem a intervenção imediata do Ministério Público, em favor da manutenção do Plano São Paulo.


CUMPRA-SE!

O próprio estado reagiu ao decreto bauruense já nesta segunda-feira. Em ofício enviado ao gabinete do Palácio das Cerejeiras, o secretário Marco Vinholi, o mesmo que receberá a comitiva mariliense nesta terça, solicitou à prefeita que “digne-se a adotar as necessárias providências, no âmbito de sua competência, no sentido de fazer cumprir as regras estabelecidas pelo Plano São Paulo”. Confira abaixo:

Diferentemente de Suéllen Rosim, Daniel Alonso tem contra si a vigência de uma liminar concedida ao Ministério Público que impõe ao município de Marília uma multa de R$ 100 mil para cada dia de descumprimento do Plano São Paulo. O MP, aliás, é a próxima parada da comitiva mariliense, em reunião a ser agendada com a procuradoria.

O jornalismo Clube Itaipu/Blog do Rodrigo procurou ainda o Sindicato dos Empregados no Comércio Varejista de Marília, que respondeu em nota assinada por seu presidente, Mário Herrera. Confira na íntegra, abaixo:


O sindicato informou estar “atendendo à distância” e “buscando soluções individuais ou coletivas quando possível para garantir empregos e direitos” e ainda fiscalizando “as condições de trabalho, quando aberto o comércio local”. Sobre as demissões no comércio, o sindicato afirma ainda não ter acesso aos dados por conta da reforma trabalhista, que eliminou a obrigatoriedade das rescisões contratuais de trabalho nas entidades sindicais.


PATERNIDADE ESTATAL

Ainda na tarde desta segunda-feira, em mais uma edição do capítulo da novela política “O Pai da Criança Sou Eu”, o prefeito Daniel Alonso e o deputado estadual, Vinícius Camarinha, do PSB, anunciaram a “conquista” de mais dez leitos para o Hospital das Clínicas de Marília.

Camarinha, por exemplo, publicou vídeo gravado no Palácio dos Bandeirantes ao lado de Marco Vinholi, que citou o “pleito” do deputado mariliense por mais leitos no HC durante sua visita a Marília com o governador João Doria, do PSDB, na semana passada.

A iniciativa, no entanto, foi do próprio governo paulista, que abriu 306 leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) em hospitais estaduais, incluído o HC de Marília nesta conta. Enquanto o prefeito e o deputado ainda disputam o protagonismo de vacinas e de leitos, Marília segue de luto e na luta pelo direito à saúde e ao trabalho.


NOTA DO EDITOR: O conteúdo compartilhado com as rádios Clube AM/Itaipu FM é independente e não representa, necessariamente, a opinião do programa 'Fala Cidade'

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo