top of page

ESQUILO NA BARREIRA

Ex-bicampeão sul-americano e brasileiro nas pistas e formador de todos os atletas olímpicos e paralímpicos da história do atletismo em Marília, treinador avalia aposentadoria das pistas após transferência provocada por denúncia de suposta tentativa de agressão por secretário. Presidentes de CBAt e FBA e pais de atletas cobram explicações. Caso segue em apuração sigilosa, informa gabinete do prefeito

Fora das pistas: técnico Luiz Carlos Albiéri, o Esquilo, foi transferido da SELJ após discussão com secretário

Ao longo das últimas três décadas, Marília consolidou-se como uma das principais referências do país na formação de novos talentos ao atletismo e paratletismo, presentes em Jogos Olímpicos e Paralímpicos desde então.

Da surrada pista do Poliesportivo “Pedro Sola” alcançaram o olimpo desportivo Osmar Barbosa dos Santos (800 metros), Jadel Gregório (salto triplo), João Vitor de Oliveira (110 metros com barreira), Augusto Dutra e Thiago Braz (ambos no salto em altura, o último campeão olímpico).

Pelo paratletismo, contam-se ainda Daniel Martins, tricampeão mundial e recordista paralímpico nos 400 metros, mesma prova de seu sobrinho, Gustavo Dias, além do multicampeão Aurélio Guedes dos Santos.

Exemplo dourado: Campeão olímpico Thiago Braz deu seus primeiros saltos orientados pelo técnico Esquilo

Todos, a exemplo de centenas de outros atletas do passado, do presente e de futuro, tiveram seus primeiros passos forjados pelo técnico Luiz Carlos Albiéri, o Esquilo, recém afastado da equipe municipal de Marília.

Ex-bicampeão brasileiro e sul-americano nos 110 metros com barreiras nos anos 1970, o ex-atleta e treinador da seleção brasileira juvenil do início dos anos 1990 agora vê outros dilemas saltando à sua frente na carreira e na vida.

ACUSAÇÃO

A começar pelo embate pessoal com o secretário municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Gastão Lúcio Rodrigues Pinheiro Junior, antigo desafeto, exposto publicamente em um episódio controverso ocorrido no último dia 11 de julho.

Naquela manhã de feriado municipal, o treinador se reunia mais uma vez com pais e alunos para tratar sobre demandas comuns do atletismo – apoio municipal a viagens e de estrutura – quando, segundo testemunhas ouvidas pelo blog, o secretário apareceu.

A certa altura da conversa, Esquilo e Gastão de desentenderam. Daí para frente, há diferentes versões sobre o que ocorreu. Uma delas foi registrada por Esquilo em um Boletim de Ocorrência de Autoria Conhecida lavrado no sábado seguinte, dia 16.

Segundo consta no documento policial, o secretário “partiu para cima da vítima, que não foi agredida porque a testemunha segurou o autor” – no caso, Marcelo Barrachi Muniz, pai de atleta, que confirmou ao blog ter contido Gastão.

Presente na reunião, o vereador Evandro Galete (PSDB) afirmou ao blog que o “bate-boca” só ocorreu porque “o Esquilo subiu o tom com o secretário”. “Não teve nada de se pegarem não”, emendou o parlamentar da base governista.
Testemunha: Evandro Galete (PSDB) nega ter visto tentativa de agressão entre técnico e secretário municipal

O treinador expôs sua versão em entrevista ao portal Jornal do Ônibus – o vídeo segue abaixo. Procurado, o secretário não atendeu ao blog. Ao Marília Notícias, afirmou que vai “se manifestar nos autos”.


REAÇÕES EXTRAPISTA

O episódio extrapista provocou uma apuração interna da administração acompanhada diretamente pelo gabinete do prefeito Daniel Alonso (PSDB) e por reações políticas e de dirigentes desportivos do atletismo.

O presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA), José Lucas Vieira de Oliveira, encaminhou ofício no dia 1º no qual cobrava providencias da administração municipal em relação ao caso e “imediato afastamento do secretário”.

A carta, no entanto, foi endereçada ao vereador, ex-secretário da SELJ e desafeto do prefeito, Eduardo Nascimento (PSDB) que, por sua vez, protocolou ofício ao presidente da Câmara Municipal, o governista Marcos Rezende (PSD) para solicitar “acompanhamento do Poder Legislativo sobre grave denúncia de agressão a servidor público municipal”.

Até a data de publicação deste post, o Legislativo não se manifestado oficialmente sobre o assunto.

O presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Wlamir Leandro Motta Campos, confirmou ao blog estar acompanhando o caso, a que classificou como “equivocado e inaceitável”.

“Entendo não ser um desentendimento apenas como o professor, mas com o valoroso atletismo de Marília”, afirmou. “Nós buscaremos uma agenda com o prefeito. A CBAt não vai se omitir em uma situação como essa”.
Presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Wlamir Leandro Motta Campos: caso 'inaceitável'

TRANSFERENCIA

Apenas dois dias após o envio do oficio da FPA, o treinador foi chamado ao Paço Municipal, onde recebeu o comunicado de sua transferência da SELJ para a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Esquilo foi recebido pessoalmente pelo secretário de Administração, Cassio Luiz Pinto Junior, o Cassinho, ‘convocado’ que foi pelo governo municipal para um ato ordinário comum ao próprio secretário da pasta de origem.

Secretário de Administração, Cassio Pinto Junior, foi 'escalado' do governo para comunicar transferência a Esquilo
“Trata-se de remanejamento de servidor e o tramite é por protocolo administrativo”, afirmou Cassinho ao blog. Desobrigado a publicar portaria, segundo o Código de Administração municipal vigente, o governo recorreu à discrição no caso.

Além de Esquilo, o seu auxiliar-direto, o servidor público comissionado Alecsandro Ramos da Silva, o Lecão, foi comunicado de sua exoneração na manhã do mesmo dia 3 – no caso, pelo chefe de gabinete, Levi Gomes de Oliveira.

A decisão, no entanto, seria reformada ainda no período da tarde após a presença de uma comissão de pais de atletas na prefeitura. “Ele (Lecão) vai permanecer por enquanto, até que a gente esclareça tudo”, afirmou Levi, ao blog.

Chefe de gabinete, Levi Gomes de Oliveira: apuração de discussão entre técnico e secretário segue sob sigilo

O chefe de gabinete informou ainda que não seriam informados mais detalhes sobre o caso envolvendo Esquilo e o secretário em virtude da apuração sigilosa dos fatos.


CONTEXTO POLÍTICO

Em mais de três décadas de serviços prestados ao município como servidor público e, particularmente, ao atletismo, é a segunda vez que Esquilo é afastado da equipe municipal – e, de novo, pelo mesmo titular da SELJ.

Gastão conduziu a gestão do esporte municipal durante o Governo Vinícius (2013-2016). Ainda no segundo ano, desarticulou a equipe de atletismo. Nomes como Thiago Braz, João da Barreira e Augusto Dutra deixaram Marília.

Ironia do destino, em 2016, Braz conquistou o ouro olímpico nos Jogos do Rio de Janeiro e, de volta à sua cidade natal, em meio às comemorações pela conquista, protagonizou um episódio que ficaria conhecido como ‘salto sobre o prefeito’.

Tempos de campanha: Thiago Braz visitou o então candidato Daniel Alonso após deixar prefeito no aeroporto

Orientado pelo tio/atleta e então candidato a vereador, Fabiano Xexo (PL), que não seria eleito, o campeão olímpico ignorou a presença do então prefeito municipal e hoje deputado estadual, Vinícius Camarinha (PSDB), e saiu por um acesso lateral do aeroporto.

A estratégia de fuga irritou o prefeito e o secretário, sobretudo depois que o campeão olímpico apareceu ao lado, apenas um dia depois, do então candidato a prefeito, Daniel Alonso (PSDB), que ganharia as eleições.

Ao blog, Esquilo afirmou que as diferenças com Gastão teriam começado a surgir a partir de então, por supostamente ter sido apontado como “omisso” na comunicação sobre a conduta que seu ex-atleta tomaria no aeroporto.

Mudança de lado: ex-secretário da SELJ de Governo Alonso, Eduardo Nascimento (PSDB) hoje é de oposição

Passados quatro anos da primeira gestão do Governo Daniel (2017-2020), o então secretário da SELJ, Eduardo Nascimento (PSDB) foi reeleito vereador, assumiu o mandato e tornou-se um opositor do governo municipal.

Gastão reassumiria o comando da pasta em setembro de 2021 até os dias de hoje.


NOVO COMANDO

Esquilo se apresentou ao seu novo ambiente de trabalho na semana passada. Nesta segunda (8), foi recebido pessoalmente pela secretária Wania Lomardi, com que tratou sobre “projetos que possam ser desenvolvidos”. “Ela me atendeu muito bem”, elogiou.

Ao blog, Lombardi afirmou que o objetivo da pasta é retomar projetos esportivos interrompidos na Casa do Pequeno Cidadão por causa da pandemia do novo coronavírus, ainda em 2020.

A secretária Wania Lomardi: expectativa de retomada de projetos esportivos com a chegada de técnico Esquilo
“O professor se identifica em todos os serviços – são seis. Os jovens e crianças tem aptidão. Vamos começar com ações de base, visando despertar talentos, mas também o espírito esportivo”, afirmou Lombardi.

No mesmo dia, a SELJ anunciou em sua página no Facebook a “nova composição técnica de atletismo”, agora coordenada pelo ex-atleta Fabiano Gilberto, o ‘Fabinho’; sua esposa, Sally Mayara, Wilbert Silva e Lecão – todos já treinados por Esquilo.

Nova composição técnica de atletismo da SELJ anunciada pela pasta na última segunda-feira (8)
“A nova formação busca fortalecer cada vez mais o atletismo no Projeto Social Esportivo, quanto na equipe de alto rendimento em treinamentos e competições”, informa a secretaria no post.

O novo coordenador afirmou ao blog que atuará como um “auxiliar fora das pistas”. “Eu não tenho lado nesta história toda, muito menos político. Minha função é restabelecer um diálogo entre a equipe e a secretaria”, afirmou Fabinho.


EXPLICAÇOES PÚBLICAS

Até a data da publicação deste post, os pais e responsáveis dos atletas aguardavam por uma manifestação formal, seja do governo municipal ou do próprio secretário, quanto ao futuro do atletismo e de seu principal treinador.

A comissão que representa as famílias informou ao blog ter recebido, nesta quinta-feira (11), um telefonema de Gastão, no qual teria solicitado uma reunião. “Ele foi muito solícito. Ficamos de dar um retorno sobre a data”, afirmou Eder Luiz de Souza, pai do atleta Luís Felipe, dos 100 metros rasos e salto em distância.

A pauta da reunião com Gastão já está definida. Os pais vão cobrar explicações sobre os critérios para destinação dos valores do ‘Auxílio Atleta’ e do ‘Bolsa Atleta’ e dos valores para transporte e alimentação nas viagens.

A comissão solicitará melhorias na infraestrutura dispensada ao atletismo – vestiários, equipamentos, etc –, além de esclarecimentos sobre a transferência de Esquilo e o futuro de seu auxiliar, Lecão, mantido na equipe.

As condições precárias do atletismo em Marília foram expostas em reportagem veiculada pela TV TEM nesta semana. Entrevistado, o secretário caiu em contradição a respeito do prazo de solicitação de envio de cronogramas anuais para a liberação de recursos para transporte e alimentação. Clique abaixo e confira a matéria na íntegra:



APOSENTADORIA?

Sejam quais forem os novos capítulos de sua trajetória no atletismo, Esquilo confidenciou ao blog a possibilidade de encerrar a carreira. “Depois de tudo que tem ocorrido comigo, já penso em aposentaria”, disse.

Se quisesse, Esquilo já teria encerrado o expediente como servidor público, pelo tempo de serviço. São 34 anos na Prefeitura de Marilia, fora outros cinco em escolas estaduais. Ao menos até agora, ele decidiu continuar.

“Eu amo muito o que eu faço, por isso tenho continuado à frente da formação de novos atletas”, disse. “Mas, quem sabe, posso estar próximo do encerramento de um ciclo. Só o tempo vai dizer”, concluiu.

218 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page