Buscar
  • Rodrigo Viudes

O QUÊ? SIM, MEMORIZE!

Atualizado: Abr 22

Conheça a técnica mais utilizada na produção de informação que vai fazer a diferença para você entender e memorizar qualquer tipo de conteúdo. É, depois desta dica, você não vai mais ver, ler ou escutar notícias do mesmo jeito!



“Você viu o que aconteceu hoje?”. “Nossa, mas onde foi isso?”. “Como deixaram isso acontecer?”. Quem já não reagiu assim depois de ler, ouvir ou assistir a uma notícia que tenha lhe causado algum tipo de reação? Você sabia que toda vez que fizemos tantas perguntas sobre algum fato ou assunto agimos como jornalistas? E o melhor: memorizamos ainda mais a notícia? Senta que eu te explico o porquê!

Toda vez que acontece alguma coisa a gente já desperta a curiosidade para saber sobre tudo. Mesmo que tenha presenciado – o que não acontece na maioria das vezes – não fica sossegado: busca informações em algum site ou rede sociais, manda um ‘zap’ pro grupo, pergunta pra vizinha... Cada um dá seu jeito de saber mais!

Nesse meio tempo, um profissional que pode até ter chegado depois na história, aparece do nada e não demora muito para saber bem mais do que você! E mais: utilizando, inclusive, das mesmas perguntas que você tenha feito para alguém – e, quem sabe, até aproveitado suas respostas postadas no Facebook.


Seria um policial? Um detetive? O Batman? Não, apenas um(a) jornalista!

TECNIZE!

Mas se o(a) tal jornalista chegou até depois, como ficou sabendo mais do que eu? Simples: ele organizou, checou e publicou as informações que recebeu e as converteu em uma notícia. A primeira parte do processo é chamada de reportagem. É justamente aqui que está o que precisamos saber sobre memorizar qualquer informação.

Os jornalistas aprendem na faculdade que toda notícia precisa responder a algumas perguntas básicas para informar o mínimo sobre o que aconteceu. Veja quais são:


À mão com todas estas respostas, o(a) jornalista pode escrever as primeiras linhas de sua notícia. É claro que ele(a) não para por aí e acrescenta muitas outras questões para concluir sua reportagem e, enfim, apresentar sua matéria para que seja publicada.

EU, REPÓRTER!

Esta mesma técnica pode ser utilizada por você para memorização de qualquer tipo de conteúdo cujas perguntas básicas possam ser respondidas total ou parcialmente. Os exemplos são os mais diversos e podem ser aplicados a muitas situações do dia a dia. Veja:

ESTUDO

Precisa memorizar aquela data histórica, o personagem daquele livro ou a explicação da aula de Biologia? Comece pela aplicação das perguntas básicas. Detalhe: desafie-se a se aprofundar nas questões. Procure saber o que não esteja dito. Pesquise. Quem age assim sobe um nível na busca pela informação. Parece até um jornalista investigativo!


TRABALHO

A velha técnica do jornalismo também pode ser muito útil para a organização dos afazeres de seu trabalho. Saber o que, como, quando, onde, por que e com quem (sozinho ou em grupo) vai desenvolver uma atividade é o mínimo para começar o dia com uma boa notícia: hoje o serviço vai render mais organizado ainda!


COTIDIANO

Mas o que uma técnica jornalística tem a ver com minha vida além do estudo ou do trabalho? Em tudo que quiser: seja para organizar a casa, ir ao mercado ou levar o cachorro pra passear. Afinal, a primeira pessoa a quem você precisa reportar a sua rotina é você mesmo. Seja um(a) ótimo(a) repórter: não deixe informação para trás.


AULA GRÁTIS!

Quer blindar sua memória contra esquecimentos? Clique abaixo e confira uma aula grátis com a maior autoridade no assunto na América Latina, o professor Renato Alves.



28 visualizações

© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com