top of page

CABOS PARLAMENTARES

Atualizado: 10 de out. de 2022

Maioria das candidaturas apoiadas por vereadores(as) de Marília é eleita para Câmara Federal. Ausência de representatividade partidária no legislativo isola campanhas locais. Confira avaliação de marilienses que não conseguiram aprovação nas urnas de domingo (2).


Com um deputado reeleito pela 4ª vez e uma primeira mulher parlamentar em um plenário de estado, Marília confirmou nas urnas de domingo (2) uma dupla representatividade que não lhe ocorria há mais de cinco décadas na assembleia paulista.

Das escolhas à Câmara dos Deputados, apesar da ausência de eleitos entre nascidos ou radicados na cidade, restaram aquelas cujas campanhas locais foram impulsionadas por correligionários com mandato na Câmara Municipal de Marília.

Com apenas um projeto votado e outro adiado, a pedido de vista, a Ordem do Dia da sessão camarária desta segunda-feira (3) ficou em último plano em pleno ‘day after’ do primeiro turno das eleições gerais no Brasil.


VITÓRIAS E DERROTA

A maioria dos candidatos apoiados por vereadores(as) em Marília posicionou-se entre os dez mais votados na cidade. Houve eleitos, reeleitos, mas também quem não tenha obtido uma cadeira apesar da expressiva votação na cidade.

Recém filiado ao PSDB e agora rumo ao 5º mandato, o deputado estadual Vinicius Camarinha contou com apoio declarado ou político de pelo menos cinco vereadores – Danilo da Saúde (PSB), Eduardo Nascimento e Evandro Galete (PSDB), Luiz Eduardo Nardi e Marcos Custódio (Podemos).

Dani Alonso (PL), por sua vez, contou com apoio do líder do pai, o prefeito Daniel Alonso, no parlamento local, o vereador Junior Moraes (PL), da correligionária Professora Daniela e de Ivan Negão (PSB).

O Executivo também apoiou o deputado federal Capitão Augusto, agora reeleito e mais votado em Marília. Ele terá novo mandato ao lado de Vinícius Carvalho (Republicanos), promovido por aqui pela correligionária Vania Ramos e Maurício Neves (PP), por Rogerinho e Elio Ajeka, também progressistas.

O principal revés nas urnas entre os candidatos apoiados por vereadores foi o de Walter Ihoshi (PSD), cuja campanha foi acompanhada pessoalmente pelo presidente do Legislativo e presidente do diretório municipal, Marcos Rezende.


ARCO AMPLIADO

Seja pelo apoio dos parlamentares locais ou pela escolha do próprio eleitorado, as urnas de domingo (2) dobraram a representatividade de Marília no parlamento paulista na comparação com 2018 e estreitaram caminhos a Brasília (DF).

A despeito de que tenha escolhido apenas dois nativos, ambos para a assembleia paulista, Marília terá pelo menos três gabinetes indiretos na Câmara dos Deputados, considerando-se os três deputados eleitos já citados.

“Marília está muito bem representada com deputados estaduais e federais para todo lado e todo gosto”, ilustrou Junior Moraes (PL). “Esperamos que todos possam cumprir suas promessas de campanha”, frisou Rezende.

ISOLAMENTO REPRESENTATIVO

Dos(as) 15 candidatos(as) nascidos ou nativos em Marília nestas Eleições-2022, apenas os eleitos e Walter Ihoshi tiveram ressonância de suas campanhas na Câmara Municipal. Embora filiado ao PSB, Roberto Monteiro não contou com Danilo da Saúde (PSB) em sua campanha. Situação semelhante à de Renato Taroco (Republicanos) em relação a Vania Ramos.

Todos os demais concorreram por partidos que não dispõem de assento no parlamento mariliense – PT, PSC, Novo, PMN, PDT, Solidariedade, PTB e Patriota. As cadeiras hoje pertencem ao PL, PSB, PSDB, Podemos, PSD, União Brasil e Republicanos.

AVALIAÇÕES PÓS-ELEIÇÕES

Embora não tenham conseguido um assento na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), outros candidatos locais não eleitos manifestaram ao blog a satisfação pela participação no processo eleitoral deste ano.

“Fizemos uma campanha honesta, com poucos recursos. Apesar de não ter obtido um número não suficiente para ser deputado, o resultado me mostra que existem pessoas que ainda acreditam que o Brasil possa ser honesto”, avaliou o médico Ricardo Paoliello (PTB).

Em vídeo enviado ao blog, Rafa Amadeu declarou “gratidão eterna” a todos que votaram em sua candidatura. “Entramos para ganhar, mas temos que ter a maturidade para aceitar a derrota”, afirmou em mensagem enviada por aplicativo.

Thiago Zani (Solidariedade) avaliou sua primeira experiência nas urnas como “sensacional”. “Vamos aprender com o que erramos e nos preparar melhor para a próxima. Agora fazemos o papel de cobrar quem foi eleito”.

Para Roberto Monteiro (PSB), a votação recebida (524 votos) foi “muito aquém do que poderia ter sido com tempo, planejamento e recursos”. “O mais importante é que me sinto capaz e preparado exercer o mandato de deputado estadual”, frisou.

“Desta vez, o meu partido somou comigo e me ajudou muito. Foi uma experiência ímpar. Posso dizer que fiquei feliz, independentemente do resultado (383 votos)”, analisou Marcos Kohlmann (PMN). Ele enviou uma carta de agradecimento. Clique abaixo e confira na íntegra.

NOTA DE AGRADECIMENTO
.docx
Download DOCX • 15KB

Entre os candidatos que concorreram à Câmara dos Deputados, Walter Ihoshi (PSD) agradeceu os “votos de confiança” recebidos, em entrevista à Rádio Jovem Pan. “O desempenho total do partido foi insuficiente para que chegássemos ao resultado”, afirmou.

Renato Taroco (Republicanos) afirmou ter ficado “muito feliz” por ter alcançado 20.896 votos “sem equipe e sem estrutura”. “Deixei para trás vários deputados com mais de R$ 1 milhão em recursos. Foi por Deus”, avaliou ao blog.

Em mensagem enviada por aplicativo, Helcio (Novo) manifestou sua gratidão pelos 641 votos recebidos. “Insuficientes para me eleger, mas para me encher de energia para combater o bom combate. Saio de cabeça erguida. Não vou desistir de nossa cidade”.

Fran Duran afirmou ter ficado “bem emocionado pelo incentivo e apoio de amigos e conhecidos”. “Ainda que engatinhando neste palco político acredito que cada vez mais o povo está acordando pro honesto. Seguirei na tentativa”.

Procurados, Juliano da Campestre, Professor Juvenal (PT) e Paula Tosin (PSC) não haviam retornado ao blog até a publicação deste post. Tão logo se manifestem, este texto será atualizado.


REQUERIMENTOS APROVADOS NESTA ÚLTIMA SEGUNDA (3)

Confira abaixo quais foram, na ordem de aprovação. Clique no número e confira a que se refe cada um:


1494/2022, de Elio Ajeka (PP)

1491/2022, de Evandro Galete (PSDB)

1513/2022, de Ivan Negão (PSB)

1490/2022, de Luiz Eduardo Nardi (Podemos)

1559/2022, de Marcos Rezende (PSD)

1565/2022, de Marcos Rezende (PSD)

1566/2022, de Marcos Rezende (PSD)

1515/2022, de agente federal Junior Féfin (União Brasil)

1498/2022, de Rogerinho (PP) – não votado pela ausência do vereador no plenário

1504/2022, de Professora Daniela (PL)

1347/2022, de Vania Ramos (Republicanos)

1511/2022, de Junior Moraes (PL)

1471/2022, de Eduardo Nascimento (PSDB)

1495/2022, de Elio Ajeka (PP)

1492/2022, de Evandro Galete (PSDB)

1557/2022, de Luiz Eduardo Nardi (Podemos)

1486/2022, de Marcos Custódio (Podemos)

1520/2022, de agente federal Junior Féfin (União Brasil)

1505/2022, de Professora Daniela (PL)

1493/2022, de Vania Ramos (Republicanos)

1544/2022, de Junior Moraes (PL)

1487/2022, de Danilo da Saúde (PSB)

1508/2022, de Eduardo Nascimento (PSDB)

1540/2022, de Elio Ajeka (PP)

1548/2022, de Marcos Custódio (Podemos)

1537/2022, de agente federal Junior Féfin (União Brasil)

1472/2022, de Professora Daniela (PL)

1524/2022, de Vania Ramos (Republicanos)

1549/2022, de Junior Moraes (PL)

1488/2022, de Danilo da Saúde (PSB)

1516/2022, de Eduardo Nascimento (PSDB)

1485/2022, de Marcos Custódio (Podemos)

1316/2022, de Danilo da Saúde (PSB)


A ORDEM DO DIA DA SESSÃO ORDINÁRIA DESTA SEGUNDA (3)

I – PROCESSO CONCLUSO


1 – Primeira discussão do Projeto de Lei nº 103/2022, da Prefeitura Municipal, desafetando a área do lote I da Quadra 3, do Núcleo Habitacional Helena Bernardes, localizada na rua Laudelino Gonçalves de Andrade, nº 248, medindo 256,62 metros quadrados e autorizando sua doação à Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), para a regularização de sua ocupação e dá outras providências. Votação qualificada.

ADIADO a pedido de vista, por 5 dias, por Eduardo Nascimento (PSDB), APROVADO por unanimidade


II – PROCESSO INCLUÍDO NA ORDEM DO DIA A REQUERIMENTO VERBAL, APROVADO, DE SEU AUTOR


2 – Primeira discussão do Projeto de Lei nº 83/2022 do vereador agente federal Junior Féfin (União Brasil), dispondo sobre a obrigatoriedade de restituição da pavimentação asfáltica ou passeio público, por parte das construtoras, empresas prestadoras, empresas públicas, autarquias, contratadas, permissionárias ou concessionárias de serviços públicos, após intervenções na via pública, e dá outras providências. Há emenda em 2ª discussão. Votação qualificada.

APROVADO em 1ª e 2ª discussões, mais emendas, por unanimidade

79 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page