top of page

NOSSAS CANDIDATURAS

Atualizado: 3 de out. de 2022

Saiba quais são os(as) candidatos(as) marilienses, nascidos(as) ou radicados(as) que disputam cadeiras na Asseblembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), na Câmara dos Deputados e no governo paulista. Confira como o eleitorado de Marília tem votado desde a redemocratização para os cargos do Executivo em disputa neste domingo (2)

A menos de 24 horas do início das eleições deste domingo (2), os 164.358 eleitores aptos a votar em Marília escolherão os eleitos à Presidência da República, ao Governo do Estado e às casas legislativas do estado e do Congresso Nacional.

São 11 opções ao Palácio do Planalto e ao Senado, dez ao Palácio dos Bandeirantes, 2.059 ao parlamento paulista e 1.540 à Câmara dos Deputados. A relação total é de 1 candidato(a) para cada 45 eleitores(as) da cidade.

Entre tantos nomes disponíveis nas urnas eletrônicas, 15 são de candidatos(as) nascidos(as) ou radicados(as) em Marília. Os nomes seguem abaixo, divididos por cargos em disputa. Clique em cima e saiba mais sobre cada um(a).


DEPUTADO(A) ESTADUAL


CÂMARA DOS DEPUTADOS


PALÁCIO DOS BANDEIRANTES


PERFIL DAS CANDIDATURAS LOCAIS

Apenas três dos(as) 15 candidatos(as) marilienses em 2018 participam das eleições deste domingo (2): Vinícius Camarinha (PSDB), único eleito a deputado estadual; Dani Alonso (PL) e Juliano da Campestre (ex-Solidariedade), suplentes em São Paulo e Brasília, respectivamente, sem terem assumido os cargos.

Na equiparação entre gêneros, a cidade tem três candidatas – uma a menos que há quatro anos e nenhum representante da comunidade LGBTQIA+. Uma única candidatura nipônica foi mantida entre todas as demais declaradas brancas. Em 2018 houve três pretas.

O patrimônio pessoal declarado varia dos R$ 8 mil de Lilian Miranda (PCO) a R$ 859 mil do médico Ricardo Paoliello (PTB). Dois únicos a já terem exercido mandato, Vinícius Camarinha (PSB) e Walter Shindi Ihoshi (PSD) tem as campanhas mais caras.


REPRESENTATIVIDADE

Apenas Vinicius disputa estas eleições com mandato. Ele tenta sua 4ª reeleição na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Ihoshi, por sua vez, foi o último representante da cidade na Câmara dos Deputados entre 2015 e 2019.

Ao longo de sua história de 93 anos de emancipação político-administrativa, Marília ajudou a eleger apenas dez candidatos nascidos ou radicados em suas terras seja para o parlamento paulista, federal, ou ambos. Todos homens. Confira abaixo:

· ANIZ BADRA (1908-1991): deputado federal em 1935-37, 1959, 1960, 1961-1971 pelo PDC e Arena. Foi vereador em Marília por três mandatos – 1948-1951, 1952-1955 e 1956-1959, sendo presidente em 1952 e 1957.

· FERNANDO MAURO PIRES DA ROCHA (1914-1985): deputado estadual de 1959 a 1971 e de 1983 a 1985 (quando faleceu), pelo PDC e PTB. Foi vereador em Marília entre 1956-1959, sendo presidente em 1958-1959.

· DIOGO NOMURA (1920-2005): deputado estadual de 1963 a 1971, pelo PR e Arena e deputado federal de 1971 a 1987 e 1991 a 1995, por Arena, PDS e PL. Foi vereador em Marília entre 1952 e 1955.

· DORETO CAMPANARI (1930-2021): deputado estadual de 1975 a 1983, pelo PMDB e deputado federal de 1983 a 1992, pelo PMDB. Foi vereador em Marília entre 1969 e 1973 e de 1973 a 1977, pelo PMDB. Foi vereador em Marília entre 1969 e 1973 e de 1973 a 1977

· OCTÁVIO TORRECILLA (1939-2017): deputado federal de 1977 a 1983, pelo MDB e PDS. Foi vereador em Marília por dois mandatos entre 1969 e 1977.

· ABELARDO CAMARINHA: deputado estadual de 1990 a 1995 e 2015-2018, pelo MDB e PSB e deputado federal de 2007 a 2015, pelo PSB. Foi vereador em Marília entre 1977 e 1983.

· VINÍCIUS CAMARINHA: deputado estadual de 2007 a 2015 e desde 2018, pelo PSB. Não tem mandato no parlamento local.

· SÉRGIO NECHAR: deputado federal de 2007 a 2011, pelo PV. Foi vereador em Marília entre 1997 e 2000, pelo PMDB.

· PEDRO PAVÃO: deputado federal de 1991 a 1995, pelo PDS. Foi vereador em Marília entre 2001 a 2004

· WALTER IHOSHI: deputado federal entre 2007 e 2019, por PFL, DEM e PSD. Não tem mandato no parlamento local.


CENTRO-DIREITA

De volta às urnas desde a redemocratização do país, em 1989, o mariliense tem mantido uma tendência de escolhas de candidaturas de centro-direita, seja para presidência, governo paulista e parlamentos do estado e federal.

As votações para a Presidência da República, por exemplo, expõem essa preferência. Das oito disputas realizadas nos últimos 33 anos, em sete o mariliense optou por candidaturas de governo ou da direita. A única exceção ocorreu em 2002. Veja:


PRESIDENCIA DA REPÚBLICA

2018

Jair Bolsonaro (PSL): 81.202 (ELEITO)

Ciro Gomes (PDT): 11.287

Geraldo Alckmin (PSDB): 10.583

Fernando Haddad (PT): 9.65


2014

Aécio Neves (PSDB): 58.924

Marina Silva (PSB): 35.811

Dilma Rousseff (PT): 20.213 (REELEITA)


2010

José Serra (PSDB): 56.765

Dilma Rousseff (PT): 31.910 (REELEITA)


2006

Geraldo Alckmin (PSDB): 68.892

Lula (PT): 30.178 (REELEITO)


2002

Lula (PT): 48.405 (ELEITO)

José Serra (PSDB): 27.849


1998

Fernando Henrique Cardoso (PSDB): 57.149 (REELEITO)

Lula (PT): 14.452


1994

Fernando Henrique Cardoso (PSDB): 49.826 (ELEITO)

Lula (PT): 17.237


1989

Fernando Collor de Melo (PRN): 51.313 (ELEITO)

Lula (PT): 27.048


GOVERNO PAULISTA

2018

João Doria (PSDB): 40.751 (ELEITO)

Marcio França (PSB): 25.927

Paulo Skaf (MDB): 22.243

Luiz Marinho (PT): 5.574


2014

Geraldo Alckmin (PSDB): 111.276 (REELEITO)

Paulo Skaf (PMDB): 22.044

Alexandre Padilha (PT): 10.023


2010

Geraldo Alckmin (PSDB): 64.000 (ELEITO)

Aloizio Mercadante (PT): 34.017


2006

José Serra (PSDB): 75.869 (ELEITO)

Aloizio Mercadante (PT): 24.123


2002

Geraldo Alckmin (PSDB): 40.118 (ELEITO)

José Genoíno Neto (PT): 33.887

Paulo Salim Maluf (PPB): 19.145


1998

Paulo Salim Maluf (PPB): 29.317

Mario Covas (PSDB): 24.719 (REELEITO)


1994

Mario Covas (PSDB): 35.147 (ELEITO)

Francisco Rossi (PDT): 14.517

Barros Munhoz (PMDB): 10.357

José Dirceu (PT): 7.259

179 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page