top of page

VAI-E-VEM DOS PADRES

Atualizado: 11 de dez. de 2022

Novo ecônomo diocesano e padre canonista assumem paróquias em Marília em 2023. Vigário retoma ministério após afastamento repentino de comunidade de Bastos. Presbítero junta-se a cônego e recém ordenado para ‘tempo de repouso’

ACIMA: Antonio Padula, José João e Silvio Quaio. ABAIXO: Guilherme Massoca, Roger Herminio e Sérgio Roncon

Quatro das 19 paróquias de Marília terão novos padres em suas sacristias em 2023. Em duas, assumirão novos párocos e, nas outras, o mesmo vigário terá a incumbência da ‘dupla jornada’ em comunidades da zona oeste e de um distrito.

As nomeações estão entre as diversas transferências de sacerdotes anunciadas nesta sexta-feira (11) pela Diocese de Marília através de circular anual, assinada pelo bispo diocesano, dom Luiz Antonio Cipolini.

As mudanças válidas para o próximo ano envolvem principalmente as comunidades católicas da ‘região três’, a mais distante da cidade-sede da diocese, próximas à divisa com o Mato Grosso do Sul.

PREAMBULO

A circular publicada nesta sexta-feira complementa outra divulgada na última terça (8), redigida após a última reunião do Conselho de Presbíteros que, entre outras atribuições, tem caráter consultivo ao bispo para transferências de padres.

No documento, assinado por dom Luiz e todos os demais membros, consta que as decisões “são colegiadas e marcadas pela fraternidade” e que “em nenhum momento são arbitrárias ou determinadas unicamente pelo bispo”.

Em 2021, este blog antecipou com exclusividade a lista de transferências para 2022. Representantes do clero se acercaram para que não houvesse novo ‘vazamento’ neste ano, o que, de fato, não ocorreu.

NOVO ECONOMO

Dos dois únicos novos párocos para Marília em 2023 está o novo ‘titular’ do Santuário Nossa Senhora da Glória, o atual padre de Nossa Senhora do Rosário, de Pompeia (SP), Guilherme Massoca Baptista.

Além de assumir uma das paróquias localizadas no centro de Marília, Baptista foi nomeado novo ecônomo da diocese. Ele substituirá Jair José Chaves, responsável pela função desde a primeira metade dos anos 2010.

Padre Guilherme Massoca Batista: de vigário a ecônomo diocesano com apenas cinco anos de sacerdócio
Cabe ao ecônomo “organizar toda administração dos bens eclesiásticos”, segundo consta no cânone 1276, parágrafo segundo, do Código de Direito Canônico. O padre nomeado é bacharel em Ciências Contábeis.

Ordenado em 2017, o futuro pároco de Nossa Senhora da Glória tem estreita confiança do bispo – já morou com ele, ainda nos tempos de seminarista. Atual administrador paroquial, o padre Antonio Padula assumirá o cargo do substituto em 2023.

Padula dedicou-se nos últimos anos à rearticulação de pastorais e à manutenção dos tradicionais retiros espirituais, sobretudo após a reabertura do santuário em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

NOVO PÁROCO

Antes do ainda reitor de Nossa Senhora da Glória, havia tido uma rápida e controversa passagem de apenas um ano e meio o padre Roger Hermínio Souza Rodrigues, anunciado nesta sexta (11) como novo pároco da Sagrada Família de Marília.

Transferido em julho de 2016 para comunidade católica homônima de Lucélia (SP), o sacerdote seria enviado, ao final de 2017, para estudar Direito Canônico na Faculdade de Teologia ‘San Vicente Ferrer’, na Espanha.

Padre Roger Hermínio: última atividade pastoral na diocese foi na Sagrada Família de Lucélia (SP), em 2017

A Sagrada Família de Marília está sob administração paroquial do padre José Antonio de Sousa desde dezembro de 2021, a pedido do bispo, por conta do pedido de ‘tempo de repouso’ pelo padre José Carlos Dias Toffoli.

Ao assumir sua nova paróquia, em 2023, padre Roger Rodrigues encontrará uma comunidade ativa em suas mais de 20 pastorais, movimentos, equipes e grupos, atenta às suas finanças e à sua administração.

Ainda em Marilia, o padre José João di Cicco assumirá como administrador da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora do Distrito de Avencas e será o novo vigário da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, da zona oeste.


DE VOLTA A ATIVA

Entre os demais vigários transferidos pelo episcopado local consta um que terá nova oportunidade de retomar seu ministério sacerdotal. Silvio César Quaio vai para a Paroquia Santo Antonio, de Junqueirópolis (SP).

De volta a rotina paroquial: Silvio Quaio será vigário na Paróquia Santo Antonio, de Junqueirópolis (SP) em 2023

O recomeço acontece menos de quatro anos de sua ordenação e oito meses depois de seu afastamento repentino da Paróquia São Francisco Xavier, de Bastos (SP). Procurada, a Diocese de Marília silenciou-se.

O blog apurou, no entanto, que Quaio foi encaminhado para uma instituição religiosa em Barretos (SP), especializada no cuidado de padres que estejam necessitando de um período de discernimento quanto a própria vocação.

AINDA INATIVOS

Na lista divulgada nesta sexta-feira (11) não constam os nomes de três sacerdotes que haviam solicitado um tempo de repouso – um ao final de 2021 e outro em maio deste ano. Pelo contrário: mais um entrou na lista.

Seguem nesta condição o cônego José Carlos Dias Tóffoli (ex-pároco da Sagrada Família de Marília), o padre Carlos Roberto dos Santos (ainda residente no Mosteiro da Anunciação, em Goiás) e do recém-ordenado Edson Luís Barbosa da Silva (ex-vigário da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, de Marília)

Juntou-se à lista o padre Sérgio Luiz Roncon, atual pároco das comunidades de Santa Genoveva, em Irapuru (SP) e São José, de Flora Rica (SP). O tempo de descanso concedido pelo bispo terá validade a partir de 1º de janeiro de 2023.

'Tempo de repouso': Pe. Sérgio Roncon também ficará ausente dos altares em 2023, segundo informou circular

NOMEAÇÕES E TRANSFERÊNCIAS

Confira abaixo a circular publicada nesta sexta-feira (11) pela Diocese de Marília:



931 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O BISPO

bottom of page